sábado, 3 de março de 2012

Efemérides de Aurora: A prisão do Frei Caneca no sítio Juiz e o fim da Confederação do Equador.

Por: João Tavares Calixto Júnior

Frei Joaquim do Amor Divino Caneca, Herói da Confederação do Equador

O ruidoso ano de 1824 foi, entrementes, de muita atribulação para a região que hoje, corresponde ao município de Aurora. O propósito de emancipação dos estados nordestinos frente ao Império, objetivando a criação de um estado novo, independente, ocupou por muito tempo o pensamento dos lideres cearenses à época, principalmente de Crato e Icó. (Sugestão de pesquisa aos estudantes: A Confederação do Equador - 1824)
Liderado pela heroína Bárbara de Alencar e seus filhos, inclusive um deles, morto em território aurorense (assunto do qual nos atearemos em tempo oportuno), o movimento da Confederação do Equador no Ceará ficou afamado como um dos maiores manifestos independentistas acontecidos no Brasil, em todos os tempos.
Interessante se faz ressaltar, embora não esteja ainda referido nos livros de história, que parte desta relevante página da memória nacional tenha acontecido em Aurora, mais precisamente nas imediações dos sítios Juiz e Crioulas, na ribeira do Salgado, à época, território lavrense, ao qual veio Aurora a se desmembrar em 1883, apenas.
Salienta-se que por muito, estes registros historiográficos vêm sendo ignorados, e os aurorenses, áteis detentores desta afiguração marcante, não foram informados, até então, da tão importante efeméride ocorrida em trechos do atual município..
Eis-lhes alguns excertos sobre este episódio, apoiado em documentação apodítica, na qual a transcrição é retirada de obra em elaboração:
   
1824 (26 de novembro) – Ocorre neste dia, um sangrento combate na Várzea das Crioulas entre as tropas independentistas republicanas de Pernambuco e os combatentes legalistas do Império, o último antes da capitulação no sítio Juiz, episódio ocorrido em terras do atual município de Aurora, memorado como um dos mais importantes de toda a história do Nordeste do Brasil.

1824 (29 de novembro) – Rendem-se no sítio Juiz, território pertencente a Lavras, hoje Aurora, as forças de Pernambuco e Paraíba, que sob o comando de Félix Antônio Ferreira de Albuquerque, ex-Presidente do Governo Provisório da Paraíba, evadiam-se de suas terras, por ter sido esmagado o movimento revolucionário da Confederação do Equador.
Procuravam, os revolucionários, juntar-se ao exército de José Pereira Filgueiras e continuar a luta pela independência dos quatro estados nordestinos (Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte), em relação ao Brasil, em terras cearenses. Cercados, e sem esperança alguma de auxílio militar, uma vez que tinha sido assassinado em Santa Rosa, Jaguaribe, Tristão Gonçalves, e Pereira Filgueiras havia sido forçado a dispersar seus homens na serra do Araripe, capitulam, no Juiz, o Frei Joaquim do Amor Divino Caneca (Frei Caneca) e seus companheiros de aventura republicana às tropas legalistas do Major Bento José Lamenha Lins (Major Lamenha), sob a promessa de que o imperador lhes teria piedade, e não os enviaria ao extermínio.
Detidos no sítio Juiz, foram levados à Vila de Lavras, donde partiram a pé para Recife aos 16 de dezembro, escoltados pelo Major Fonseca, conhecido como Pastorinha.
Alhures transcreve-se aqui, passagem do Barão de Studart na Revista do Instituto do Ceará (Tomo Especial – Parte Cronológica, ano de 1824) sobre o sítio Juiz:
“Juiz é o nome de uma fazenda, que foi dos Frades Benedictinos de Olinda, distante de Missão Velha 5 léguas aproximadamente, situada desde a passagem da Ingazeira até o lugar Santa Cruz, próximos às Creoulas no rio Salgado, na extensão de 3 léguas. Foi até certo tempo administrada por Canuto José de Aguiar, um dos vultos notáveis da nossa história militar. Pertence hoje ao Padre Cícero Romão Baptista por compra feita à Ordem, representada pelo Abade Dom Gerardo Van Caloen”.
Sobre os presos no sítio Juiz, de Aurora, eram eles, além do Frei Caneca (secretário da expedição): Félix Antônio Ferreira de Albuquerque, Agostinho Bezerra Cavalcanti, Lázaro de Sousa Fonte, João da França Câmara, Antônio Carneiro Machado Rios, Francisco de Sousa Rangel, José Maria Ildefonso, Frei Antônio Joaquim das Neves, Pe. Lúcio Bento de Ávila, José Gonçalves Morete, Frei João de Santa Madalena e outros. Alguns fugiram em Goiana, Pernambuco, outros sofreram prisões, havendo sido executados Frei Caneca, Agostinho e Lázaro.
De nada valera a promessa do Major Lamenha Lins. Para João Brígido (pp. 33 e 462), esta malograda expedição de quase 200 léguas, constituiu-se no maior sacrifício que já existiu na política do Brasil, “... a retirada mais difícil que já se executou e a prova de fogo da bravura dos homens de Pernambuco e da Paraíba”.
            Em registros do próprio Frei Caneca datados de 24 de novembro de 1824, e em transcrições feitas por Gilberto Vilar de Carvalho em: Frei Caneca: gesta da liberdade, 1778-1825, três dias após a sua chegada ao território lavrense pelos sítios Umari (atual município de Umaria) e Boa Vista vê-se o que se segue:
“No dia 24, mais um ataque pela retaguarda, perto de S. Vicente das Lavras, que logo o capitão França rebateu.”
“A vila estava quase deserta, e as casas dos liberais patriotas destruídas, segundo lá mesmo nos contaram, pelas tropas do Rio do Peixe, quando por ali passaram atrás de Pereira Filgueiras. Nessa estrada, quebrou-se a carreta da peça da retaguarda. Passamos muito mal d’água, pois a região é seca.”
No dia 25 a força marchou para a Fazenda Santo Antônio. “Apenas teríamos andado um quarto de légua apareceram pela outra parte do rio uns tiroteios a cavalo, sobre os quais, dando a nossa guarda avançada, dispersaram-se.”
“A caminhada estava cada vez mais difícil. Para chegarmos à sobredita fazenda, tivemos de atravessar seis vezes o rio Salgado. Quando sobrava água, faltava-nos comida.”
Conforme Dimas Macêdo em seus Ensaios e Perfis, (Fortaleza, 2004), o fato de o bravo Frei realizar essas diversas costuras sobre o Rro Salgado, foi majoritariamente, pensando, atingir Missão Velha e a cidade do Crato. Mas é certo que jamais saiu do município de Lavras, estacionando, inicialmente, na Várzea Redonda e, depois, na fazenda Juiz, dos monges beneditinos de Olinda (território aurorense), onde seria finalmente preso pelas tropas legalistas do Major Lamenha aos 29 de novembro, segundo registros que se podem ler em seu próprio Diário, e na referida transcrição.





22 comentários:

João Tavares Calixto Júnior disse...

Aproveito para agradecer a todos que comentam, no Blog do Monsenhor, acerca dos artigos postados. Agradeço plenamente, ao tempo em que afirmo ser isto, para mim, motivo de grande satisfação, poder compartilhar com todos, alguns dos achados sobre a história de Aurora, tão magramente referenciada. Agradeço pelas palavras de carinho e peço desculpas pelo contratempo de ter, postado anteriormente um artigo e tê-lo retirado do ar já com um comentário postado pro syssim. Realmente foi um equívoco por não perlustrar corretamente as ferramentas digitais do blog.
Aproveito ainda, para sugerir aos professores da Escola, a busca pela tema: A Confederação do Equador, como objeto de estudo da História do Brasil, algo que realmente se passou em Aurora, e que ocultam os historiadores. Estou disposto sempre, aos alunos que queiram postar seus trabalhos, comentários e sugestãoes, quaisquer que sejam, a ajudá-los. Forte abraço a todos, do amigo eterno da Escola Monsenhor Vicente Bezerra, João Tavaers Calixto Júnior.

LIVRO DIGITAL - LUIZ DOMINGOS DE LUNA disse...

Ao que podemos dizer ao Doutor João Tavares Calixto Júnior que na sua cátedra de abalizado mestre vem descortinando a verdadeira história de Aurora, inclusive não com o secundarismo, nem a periferia de outras, que ganham páginas e mais páginas da história, sendo epicentro de dados históricos de relevância para o Nordeste Brasileiro, como o artigo supra citado, resta a nós Aurorenses conhecer a verdadeira história de Aurora e dos acontecimentos pela pena certeira, precisa e verdadeira no notável mestre!!! Parabéns pela iniciativa motriz para o conhecimento verdadeiro da Terra do Sol nascente!!!

Anônimo disse...

Que no nosso querido blog da Escola Monsenhor Vicente Bezerra tenha sempra materias e ou artigos pertinentes a historia d Brasil
Fabiana Alves
2º ano B - Ensino Medio

Anônimo disse...

Gostaria de agradecer ao filho ilustre da Escola Dr. João Tavares Calixto Junior por trazer novidades históricas para nós que continuamos, assim como você, a sonhar em ser doutor também
Wallyson de França
2º ano B - Ensino Médio

Anônimo disse...

Sempre leio as artigos do doutor João Tavares calixto Junior, pois são verdadeiras aulas de história
Grato em nome de meus colegas
Fernando Alves
2º B Ensino Médio - Escola Monsenhor

Anônimo disse...

Ler Doutor João Tavares Calixto Junior é saber que é possivel se fazer história com seriedade, compromisso e lealdade com sua escola primeira Monsenhor Vicente Bezerra
Professora Fátima Pereira - Coordenadora Escola

Anônimo disse...

A Familia Monsenhor se une as ferramentas de conhecimentos de Dr João Tavares Calixto Junior para agradecer a sua contribuição a nosa querida escola!

João Paulo Batista
funcionário

Anônimo disse...

Gostaria de parabenizar ao Dr João Tavares Calixto Junior pelas excelentes postagens neste maravilhoso blog
Francisco das Chagas Figueiredo
Professor da Escola

Anônimo disse...

Sonho em um dia ser doutor assim como o Doutor João Tavares calixto Junior
Paulo Sergio
2º B Ensino Médio - Escola Monsenhor Vicente Bezerra

Anônimo disse...

Sempre que leio os artigos de Doutor João Tavares Calixo Junior, vejo que a nossa história precisa de jovens abnegados a resgatar valores, preciosidades e fatos ocorridos, mas perdidos na oralidade esquecida.
Luannna Graciele

Diretora do laboratório de informática

Anônimo disse...

Salve, salve, mestre João Tavares Calixto Junior por levar ao conhecimento de nossos alunos os passos de Frei Caneca no solo da terra do Menino Deus. Um artigo bem elaborado, conciso, e de uma valor histórico inqüestionável.
Vicente Luna Alencar
Coordenador Escolar
E.E.F.M Monsenhor Vicente Bezerra.

Anônimo disse...

Gratificados ficamos ao ver artigos inéditos que à luz da lavra do Dr João Tavares Calixto Junior a rica e diversificada história de Aurora no meu querido Ceará.
Aline Santos
Professora da Escola

Anônimo disse...

Gostei muito do artigo sobre a prisão de Frei Caneca no município de Aurora, são temas dessa natureza que enriquecem o nosso blog bem como a história de minha linda cidade Aurora
Rayan Honorato
2º ano B Ensino Medio
Monsenhor Vicente Bezerra

Anônimo disse...

Sempre leio o Blog da Escola Monsenhor Vicente Bezerra, que a cada dia fica mais rico em história e em conhecimentos não disponivel em livros com a escrita de nossos redatores, creio em breve poder também participar já estou começando a pesquisar
Willam Lucena
2º Ano B - Turno: Tarde
E.E.F.M Monsenhor Vicente Bezerra

Anônimo disse...

E sempre motivo de alagria para mim, ver que o blog de nossa escola traz matérias pertinente a história de Minha querida cidade Aurora, porém hoje esperava um artigo sobre o dia internacional da Mulher em não vendo, espero na referida dada um artigo sobre o dia da mulher no próximo ano
Sabrina Santos
2º ano B Turno Tarde
E.E.F.M Monsenhor Vicente Bezerra

Anônimo disse...

Gostaria que no ano vindouro, nesta data, um artigo sobre o função da mulher na sociedade, bem como, os seus avanços ao mercado de trabalho, ou seja um trabalho que tenha como tema: A Emancipação da Mulher atual.
Aline Santos
Professora.

Anônimo disse...

Este blog já se transformou em um livro digital que sempre leio e recomendo para os meus colegas - Parabéns
wallyson de França
2ºa Ano Ensino Médio - Turno Tarde
E.E.F.M. Monsenhor Vicente Bezerra - Aurora - Ceará.

Anônimo disse...

Este blog, com certeza tem contribuído muito para que os estudantes tenham uma iniciação na internet com seriedade, compromisso e, com material de primeira qualidade postado, somente nos resta a agradecer aos idealizadores e escritores
Fátima Pereira
Coordenadora Escolar

Anônimo disse...

Neste dia internacional da mulher queria que todas as Mulheres desta escola se sintam homenageadas, prestigiadas e que lutem sempre pelos seus sonhos não desistam - nunca!!!
Luanna Graciela
Diretora do Laboratório de Informatica

Anônimo disse...

Feliz é o educandário que sabe absorver no decorrer do tempo a seiva que alimenta a colméia do conhecimento, com naturalidade, com simplicidade, no constante serviço de servir para, no edifício da educação, sempre as melhores colunas de sustentação na busca de uma qualidade social que dignifique a todos.

O Blog da Escola Monsenhor Vicente Bezerra tem demostrado isto, basta ler os maravilhosos artigos postados, numa ação de levar ao mundo on line a nossa humilde lição de educar, e educar com seriedade, na constante busca da profundidade do conhecer e, conhecer plenamente, pois somente assim, poderemos mudar, qualificar e direcionar as objetivas para um mundo promissor.
Temos também a galeira de vídeos, que versam sobre as atividades da Escola, bem como dos acontecimentos culturais, sociais, educacionais, que no decorrer do tempo vamos postando e repassando para a web o nosso trabalho.
A Galeria do Estudantes aprovados no vestibular sempre uma constante no painel de nosso blog.
A Palavra oficial de Nossa Diretora Administrativa Francisca Edvânia Tavares sempre a nortear os nossos objetivos, e a nossa posição sobre a educação com uma ação de engrandecimento da sociedade.
A família Monsenhor Agradece a todos que ao acessarem este blog de uma forma especial estão entrando, ainda que de forma virtual, na nossa luta e luta intensiva por um mundo melhor.
Vicente Luna Alencar
Coordenador Escolar
E.E. F. M. Monsenhor Vicente Bezerra Rua Cel. José Leite s/n - Araçá - Aurora -Ceará. Tel (88) 35433903 CEP: 63.360.000
EMail dos administradores do blog
João Tavares Calixto Junior
joaojrbio@gmail.com
Luiz Domingos de Luna
falcaodouradoarte@gmail.com

Anônimo disse...

PODEMOS ROMPER COM A BARREIRA DO TEMPO E ESPAÇO USANDO A INTERNET COMO FIO CONDUTOR DESTA VIAGEM E NOS TRANSPORTARMOS PARA UM MUNDO ALEM DOS PORTAIS DA ESCOLA
VICENTE LUNA ALENCAR

Livro Digital de Luiz Domingos de Luna disse...

A Escola Monsenhor Vicente Bezerra tem no administrador do Blog o eterno aluno, doutor em biologia o já conhecido no mundo intelectual, Dr. João Tavares Calixto Junior o agradecimento, ao receber, deste nobre doutor o presente para a construção da história on line de nossa escola, que para felicidade de todos, justamente, quando o educandário de educação publica mais antigo de cariri completa 85 anos - 15 de março 2012 - parabéns!!! e todos nós somos gratos pelo valioso presente, pedra angular para a constgrução do futuro legado de luz que haveremos de deixar para as futuras gerações.
Parabéns Escola Monsenhor Vicente Bezerra!!!
Parabéns Doutor João Tavares Calixto junior
O Futuro abra as asas sobre nós