sexta-feira, 16 de março de 2012

Fragmentos da História da Povoação da Venda.





 1847 (19 de julho) – Ocorreu nesta data o falecimento do Cel. Xavier, (Francisco Xavier de Souza) co-fundador de Aurora. Eis-lhe, integralmente, o registro de óbito:
            “Aos dezenove dias do mês de julho de mil oitocentos e quarenta e sete, faleceu da vida presente o Comandante Superior Francisco Xavier de Souza, branco, casado com Dona Maria Xavier de Souza, idade cinquenta anos, e foi sepultado nesta Matriz aos vinte dias do mesmo mês, de grades acima, encomendado solenemente pelo Reverendo Vigário José Maria Freire de Brito, e para constar mandei fazer este assento em que assinei”. (Livro de Óbitos da Paróquia de Missão Velha, 1822-1851, pág. 273).
            Observa-se a não assinatura do Vigário no registro de Óbito.

Registro de Óbito do Cel. Xavier

1853 (23 de novembro) Segundo casamento de Maria Xavier de Souza, viúva do Cel. Xavier, com o Capitão José Joaquim de Macêdo, este, viúvo de Rosa Perpétua do Sacramento, realizado em oratório privado na casa do próprio Capitão, em Crato. (Livro de Casamentos, Paróquia de Nossa Senhora da Penha do Crato, 1851-1855).

1856 (19 de julho) – Nasceu, em terras da Venda, Vicente Pinto Teixeira (Monsenhor Vicente Pinto), que foi, na ordem do tempo, o primeiro filho da terra a tomar assento na Assembléia Legislativa do Ceará.
Filho do Capitão Antônio Pinto Teixeira e Maria de São José Tavares, foi levado à pia batismal aos 5 de setembro do mesmo ano na capela de São Benedito na povoação da Venda, pelas mãos do seu tio materno, o Padre José Luiz Tavares, falecido aos 31 de maio de 1873.
Entrou para o Seminário aos 16 de março de 1871 (matrícula nº 226), onde recebeu do Bispo Dom Luis Antônio dos Santos (1º Bispo do Ceará) o subdiaconato aos 23 de novembro de 1879 e o diaconato em 30 do mesmo mês e ano.
Ordenou-se aos 7 de novembro de 1880 no seminário da Prainha, em Fortaleza, cidade onde posteriormente exerceria a função de professor da Cadeia Pública (em substituição ao Padre Vicente Salazar da Cunha), Vigário Geral e Governador interino do Bispado do Ceará. Foi Coadjudor de Barbalha e Vigário de Trairi e Aratuba. Não aceitou a nomeação para coadjutor de Várzea Verde (11 de janeiro de 1881), tendo voltado à sua terra natal. Foi nomeado Fabriqueiro da Sé (9 de maio de 1904) em substituição ao Pe. Francisco de Assis Pinheiro.
Em Aurora, serviu de cura até 1887, quando foi nomeado seu primeiro Vigário por provisão de 6 de julho de 1893, tomando posse no dia 30 seguinte.
Recebeu o título de Monsenhor em 10 de março de 1904 (anuário pontifício de 1913).
Veio a falecer em 1941, aos 19 de setembro, após ter sido elegido à Monsenhor e ter sido Deputado à Assembléia cearense por quatro sucessivas legislaturas (1897 a 1900; 1901 a 1904; 1905 a 1908 e 1909 a 1912), sendo que em 1909, foi vice-presidente da casa.

 
1857 (25 de agosto) – Através da Lei nº 806, desta data, é criada na Povoação da Venda, a Cadeira de Primeiras Letras. (LCE, 1871, p. 29).
        
1858 (4 de maio) – Acusa o recebimento de um compêndio e informação de envio de mapa dos alunos da Escola de Instrução Pública da Povoação da Venda, o primeiro professor público do lugar (1858 a 1860), João Antônio Firmino de Sousa, e através de ofício, envia a Carlos Augusto Peixoto de Alencar, Diretor Geral da Instrução Pública do Ceará, os informes sobre as “necessidades mais urgentes” das aulas na povoação. Ei-lo a transcrição, com atualizações ortográficas:
            “...são mesas, bancos, cabides ou torneiras para os chapéus dos alunos, assim como também os objetos: réguas, ardósia, penas, papel, tinta, translados e compêndios, a que V. S. julgar conveniente para aqueles meninos mais indigentes. Tenho apenas matriculados 8 alunos como verá V. S. no mapa incluso. Há aqui grande número de meninos que os pais os trazem ocupados na agricultura, e outros finalmente pela indigência, de sorte que a frequência mais avultada aqui é pela seca”.

1858 (27 de novembro) – É nesta data, criado o Distrito Policial na Povoação da Venda (sub Delegacia de Polícia), no Termo de Lavras, sendo este, o passo crucial para a formação e desenvolvimento da comuna aurorense.(Livro de Registro de Patentes da Guarda Nacional - Povoação da Venda).

1859 (8 de junho) – Juntamente ao ofício nº 19 desta data, foi entregue a João Antônio Firmino de Souza, Professor Público da Venda, dois exemplares de livros que regulavam a instrução pública primária na Província, à época. Em 4 de julho do mesmo ano, informa o Professor ao Secretário da Diretoria Geral da Instrução Pública do Ceará, Ignácio Ferreira Gomes, sobre o recebimento do ofício e dos exemplares.

3 comentários:

LIVRO DIGITAL - LUIZ DOMINGOS DE LUNA disse...

Com ousadia, determinação e penitência, o Doutor João Tavares Calixto junior, em fragmentos perdidos, agora encontrado aos poucos, vai costurando a verdadeira história de Aurora, com artigos inéditos, os fatos como realmente aconteceram, o retrato fiel da verdade, sei perfeitamente que este monge abnegado do conhecimento irá oferecer a cidade centenária o maior presente histórico que ela poderá receber - A Sua verdadeira História!!! O que o seu filho, ilustre abnegado esta fazendo, recompondo o que parecia perdido, dando luz ao que paracia ser trevas, dando vida ao que parecia morrido e agora vive, finalmente nós vamos poder contar a historia do municipio de Aurora com a luz dos fatos ocorridos.

João Paulo Pinto. disse...

Mais uma vez o Prof.João contribui para o legado historico desse municipio trazendo a tona a verdade sobre nosso passado,personagens de um filme real que muitas vezes sucumbem na estrada do tempo ~jamais ouvi falar desse primeiro professor e que fazia reivindicações tão nobres ao estado acho que ele deveria ter seu nome em algum lugar nem que fosse em uma salinha ,quanto ao compromisso com essa verdade desperta em seus leitores a emoção escondida por traz do desejo de conhecer a si mesmo,aqui quero manifestar os meus mais siceros votos de respeito ao trabalho engrandecedor dos enfrentantes deste blog.

Anônimo disse...

O Blog do Monsenhor é um portal interativo com o mundo on line, sempre leio os artigos do administrador, Prof. João Tavares Calixto Junior direcionado mais para o mundo acadêmico, principalmente, as origens do município de Aurora, cuidadosamente com literatura revisada e fundamentação histórica, servindo para o universo virtual como fonte de pesquisa sobre a formação histórica da cidade de Aurora.
Fátima Pereira
Coordenadora Escolar
Escola Monsenhor Vicente Bezerra