sábado, 2 de junho de 2012

Rápidas pinceladas sobre alguns personagens e mazelas da Povoação da Venda: A questão da seca de 1877 e a decadência da escravatura.


      

        Registrou-se no ano de 1877 uma das maiores secas enfrentadas pelas populações do semiárido brasileiro da história. Maciça foi a migração dos campos para as cidades, assim como a mortandade que se generalizou sobremodo à falta de alimentos na zona rural.
Na Venda, antiga povoação elevada à Distrito da Vila de Lavras em 1870, assim como nos sítios que hoje formam o território atual do município de Aurora, vários foram os vitimados pela fome em decorrência da seca, algoz e persistente. Esclareçamos:
“Aos vinte de novembro de mil oitocentos e setenta e sete, faleceu de fome o adulto Joaquim Gomes, pardo, de idade de doze anos, foi envolto em branco e sepultado no campo (Calumby), sendo depois encomendado por mim. E para constar fiz este e assignei. O Vigário Meceno Clodoaldo Linhares” (Livro de Registro de Óbitos da Paróquia de São Vicente Ferrer de Lavras, 1877-1885, p.5).
Aos vinte e nove de novembro de mil oitocentos e setenta e sete, faleceu de fome a párvula Úrsula, de idade de quatro anos, filha legítima de Antônio dos Santos e Rita Maria de Jesus, foi envolta em branco e sepultada no Cemitério da Venda, sendo depois encomendada por mim, etc (...)” (Livro de Registro de Óbitos da Paróquia de São Vicente Ferrer de Lavras, 1877-1885, p.5).
Aos seis de dezembro de mil oitocentos e setenta e sete, faleceu de fome o párvulo José, de idade de dois anos, filho legítimo de Vicente Monteiro e Maria Joaquina, foi envolto em branco e sepultado no Cemitério da Venda, sendo depois encomendada por mim, etc (...)” (Livro de Registro de Óbitos da Paróquia de São Vicente Ferrer de Lavras, 1877-1885, p.6).
Assim como estes, concernentes à Venda e adjacências, observam-se vários outros registros de falecimentos ocorridos nesta fase, em virtude da seca.  Párvulos padeceram, assim como adultos e idosos, todos, impiedosamente.

-----------------------------------------------------------------------------------

        Precisamente no dia 4 de abril do ano de 1880, realizaram-se na Capela do Menino Deus na Venda, 12 (doze) batizados pelas mãos do Padre João Carlos Augusto, e dentre estes, um de filho de escravos: Era Vicente, preto, filho natural de Carlota do Amor Divino, nascido aos vinte de março do dito ano, que teve como padrinhos a Deodato Lopes de Oliveira e Balbina Maria da Conceição. Assina Meceno Clodoaldo Linhares (Livro de Batismos da Paróquia de São Vicente Ferrer de Lavras, 1877-1882, p.101).
       Curiosamente, ressaltamos aqui ter sido este um dos últimos lançamentos relativos a escravos nos livros eclesiásticos da Paróquia de Lavras, concernente aos residentes na Venda ou sítios que compunham o atual território de Aurora. Apesar de a abolição da escravatura ter sido oficializada em 1888, diminuíram-se a partir deste ano (1880) as referências a escravos, muito comumente citados nos ditos livros de registros. Exemplifiquemos:
     “Aos vinte e um de novembro de mil oitocentos e setenta e três, na Capela da Venda, feitas as diligências necessárias, confessados e crismados na doutrina cristã, sem comprometimento algum, de licença minha, em presença do Pe. Joaquim Machado da Silva e dos testemunhos Antônio da Silva Martinho e Pedro Carneiro de Oliveira, se (ilegível) em matrimônio os nubentes Vicente Ferreira, escravo de Bárbara Maria, com Raymuda Izabel, viúva por falecimento de Antônio Apolinário de Souza. São naturais e moradores, ele no Barreiro, desta Freguesia e ela, na (ilegível), da mesma Freguesia de Lavras, etc... Pe. Vicente Férrer de Pontes Pereira”. (Livro de Registro de Matrimônios da Paróquia de São Vicente Ferrer de Lavras, 1870-1875, p.141).
“Aos doze de março do ano de mil oitocentos e sessenta e seis foi sepultado no cemitério da Capela da Venda o adulto Antônio Jacintho, casado com Maria, escrava de Manoel Joaquim Carneiro, morador no Barro Vermelho, faleceu de morte natural aos trinta anos de idade do dito mês e ano. E para constar mandei lavrar o termo que assinei. Pe. Antônio Pereira de Oliveira Alencar”. (Livro de Registro de Óbitos, Paróquia de São Vicente de Lavras, 1865-1871, p.40).
  Como estes, diversos outros assentos foram observados, inclusive, de escravos pertencentes ao citado cidadão Manoel Joaquim Carneiro, que como se verá em momento oportuno, foi o primeiro Presidente da Câmara Municipal da Vila d’Aurora, à época, a principal autoridade administrativa do município.
Era o referido Manoel Joaquim Carneiro, que exercera ainda o cargo de subdelegado de polícia na Venda (Tenente), casado com Maria de Jesus Tavares (irmã de Maria de São José Tavares, Alexandre Luiz Tavares e do Padre José Luiz Tavares), e conforme se observa no Livro de Registro de Matrimônios da Paróquia de São Vicente Ferrer de Lavras (1870-1875, p. 185), assistiu ao casamento realizado pelo Pe. Francisco Tavares Arco-Verde, de sua filha Joana Maria de Jesus, aos 3 de junho de 1875, em sua residência no sítio Barro Vermelho, com Valdevino Leite Teixeira, viúvo este, de Ana Rosa Leite. Da mesma forma, aos 17 de novembro de 1886, viu seu filho José Joaquim Carneiro contrair núpcias com Maria Joaquina da Conceição, filha de José Antônio Carneiro e Maria Joaquina da Conceição (Livro de Registro de Matrimônios da Paróquia de São Vicente de Lavras, 1884-1891, p. 37).     
Outras considerações a despeito de Manoel Joaquim Carneiro, notável figura da historiografia aurorense, sobretudo política, serão anotadas  em textos que se seguirão.



Trechos extraídos de obra em elaboração.



35 comentários:

Luiz Domingos de Luna disse...

Com seriedade, compromisso, ética, literatura revisada, o Doutor João Tavares Calixto Junior vai descortinado nos umbrais de um tempo histórico tolhido da literatura da região do cariri e do Ceará. Assim vivia os aurorenses privados do conhecimento sobre a sua terra natal Aurora.
Muitos, sejam por falta de dados disponíveis, sejam pela falta de determinação, garra e tenacidade, ou talvez cônscios de que a terra sem história é palco aberto para invencionice entraram no mundo do devaneio, no labirinto das metáforas, na beleza da arte poética construir uma história para Aurora.
Inúmeras foram às tentativas de construir uma história para agradar aos aurorenses e aos coronéis da época, mas nunca dava certo, pois as dadas, os templos, os costumes não batiam e o vetor existencial tempo não é fácil de ser driblado pelos oportunistas, assim o dito, não batia com o veredicto dos fatos acontecidos, assim, graças a memória de um povo sério e em busca de conhecimento verdadeiro, sabia que toda estória de Aurora é estória de Troncoso, tudo bem arquitetado para esconder as atrocidades cometidas pelos bandoleiros da região e de seus apaniguados . Dá para se enganar o povo por um tempo, dá para se enganar o povo por muito tempo, mas jamais para se enganar todo povo durante todo tempo, assim foi oportuno para mandatários de Aurora esconder por 130 anos a sua história legítima.
Porém não contava os donos de Aurora (passado) que no ano de 2012 o Jovem Escritor João Tavares Calixto Junior iria pela primeira vez na história da humanidade dar a certidão de nascimento da terra do Menino Deus – Aurora – Antiga Venda; graças a determinação do maior intelectual da Nova Geração entrega a todos aurorense a Historia de Aurora sem a venda da ignorância que muito contribuiu para o atraso do município que nunca foi nem cariri e nem sertão. E que em breves dias recebe o seu primeiro registro de nascimento feito pelo seu filho João Tavares Calixto Junior e que de posse desta certidão de nascimento possa o povo de Aurora trilhar sempre pelo caminho da civilidade, do crescimento e tentar não deixar repetir a mancha negra que sujou a nossa maior relíquia – A nossa história pelos os mandatários e coronéis de épocas passadas.
Luiz Domingos de Luna
Professor

Anônimo disse...

Fico feliz e agradecida em saber que a historia de Aurora pela primeira vez, está sendo publicado, em capítulos, no Blog da Escola Monsenhor Vicente Bezerra é na verdade um presente de valor incalculável, pois os estudantes serão os primeiros a ter acesso, e quando se tratava em Aulas da História de Aurora os alunos acumulam mais dúvidas do que certeza, não havia uma base real, uma literatura voltada para a seriedade histórica da terra do Menino Deus, agora sim, com a determinação do filho ilustre desta Escola Dr. João Tavares Calixto Junior, que já antecipo, que estamos na luta diária pela reforma estrutural da escola para que nós possamos em Primeira mão fazer o lançamento de seu Livro Vila Grande de Aurora como uma forma de reconhecimento a emancipação histórica de Aurora pelo filho ilustre, Dr. João Tavares Calixto Junior , pelo educandário mais antigo da Rede Pública Oficial de Ensino do Cariri Cearense { 15 de março 1927}– Escola Monsenhor Vicente Bezerra.
Edvânia Tavares
Diretora Administrativa.

Anônimo disse...

É grande a minha Alegria com diretor que fui desta escola, professor e agora coordenador Escolar, saber que a Bíblia de Aurora – Novo testamento - trazendo a boa nova da história de Aurora, já que no velho testamento não mais que um conjunto de hipóteses e possibilidades que nunca foram comprovadas ou aprovadas à luz da realidade dos fatos, claro que existe um conjunto de boas intenções, mas isto era pouco ou insuficiente para se chagar a verdade dos fatos ocorridos, como agora se chegou em Vila Grande de Aurora do abalizado doutorando Dr. João Tavares Calixto Junior. Que pacientemente, vai tecendo a história de Aurora que nunca pode existir pela força do bacamarte dos coronéis de outrora.
Ser a Escola Monsenhor Bezerra palco para o lançamento de Vila Grande de Aurora é apenas o encontro do sério (Livro) com a seriedade (Escola) que foi ligada por um doutor que passou pelo banco desta escola e sentiu o vácuo histórico da terra do Menino Deus.
Prezado Dr. João Tavares Calixto quero que saiba que não mediremos esforços para fazer uma festa de grandeza maior neste educandário para dar luz, a civilidade, a histórica de Aurora que por 130 passou escondida no manto estúpido da ignorância de coronéis passados que pensavam poder tudo, inclusive a historia de meu lindo município Aurora no estado do Ceará.
Vicente Luna Alencar
Coordenador Pedagógico

Anônimo disse...

Prezado Dr. João Tavares Calixto Junior gostaria de dizer que toda família monsenhor já entrou em clima de preparação para o maior acontecimento histórico da linda cidade de Aurora – O Lançamento do Livro Venda Grande de Aurora, o primeiro inclusive, com reconhecimento histórico comprovado e assistido por uma excelente literatura revisada, que bem podia ser também uma tese acadêmica.
Soma-se a tudo isto ainda, o fato das coincidências históricas que dão a beleza lapidar a paisagem linda da terra do Menino Deus, senão vejamos: o Monsenhor assim como você nasceu no querido bairro do Araçá, A Escola que lhe ensinou a ler é a primeira escola da rede publica do Cariri cearense, assim como você é o pioneiro da história de Aurora a escrever Venda Grande de Aurora que é o primeiro livro de caráter didático sobre a história oficial de Aurora.
Logo a vida do Monsenhor Vicente Bezerra e de seu filho ilustre é um emaranhando de coincidências e de lançamento de luzes que ser a Escola Monsenhor Vicente Bezerra o primeiro local para o lançamento primeiro, é tão somente, um alinhamento na escala do tempo entre criador e criatura misturado na missão perfeita entre o humano e o divino.
Fátima Pereira
Coordenadora Escolar

Anônimo disse...

Gostaria de Parabenizar ao Dr.João Tavares Clixto Junior por oferecer a Aurora o que ela com certeza mais necessitava - Sua história!!!
Ester Márcia Luna
Professora

Anônimo disse...

Enfim, graças ao professor João Tabares Calixto Junior os estudantes poderão, apartir do lançamento do livro Venda Grande de Aurora conhecer a verdadeira historia de Aurora.
Vânia Campos
Professora

Anônimo disse...

Agora, com o lançamento do livro Venda grande de Aurora, finalmente os aurorenses terão direito a sua propria história
Aurilene Silva
Professora

Anônimo disse...

Gostaria de parabenizar a iniciativa brilhante do professor Junior Calixto pelo breve lançamento do Livro Venda Grande de Aurora
Auricélio Fernandes
Professor

Anônimo disse...

Com certeza nós que formamos a laboratório de Infromatica da Escola Monsenhor Vicente Bezeera, somos gratos ao professor Junior Calixto pela publicação dos capitulos vila Grande de Aurora no Blog da Escola.
Sampson Tavares
Professor do laboratório de informática

Anônimo disse...

Fico sempre muito feliz quando os alunos acessam o Blog do Monsenhor para fazer pesquisa sobre a história de Aurora e encontram os capitulos de Venda Grande de Aurora um livro real, de uma história puramente real, também para o mundo virtual, com exclusividade blog da Escola Monsenhor Vicente Bezerra.
Amanda Leite de Oliveira
Professora do laboratório de informática.

Anônimo disse...

Mais um magnífico capitulo do Livro que com certeza irá revolucionar toda história de Aurora Venda Grande de Aurora de autoria do notável professor natural de Aurora. Dr. João Tavares Calixto Junior. Parabéns pela Inicativa Brilhante!!!
Cicero Barbosa
Professor

Anônimo disse...

Mais um brilhante artigo do escritor da história de Aurora Dr, Junior Calixto que também já passou por esta linda escola e agora esta escevedo um livro para todos nós podermos conhecer a nossa história
Paulo Sérgio
2º Ano B Turno Tarde

Anônimo disse...

Gostei muito do capitulo do livro Venda Grande de Aurora não vejo a hora do lançamento aqui na Escola Monsenhor Vicente Bezerra
Leiluana
2º Ano B Tarde

Anônimo disse...

Acho muito legal o Blog da Escola Monsenhor Vicente Bezerra e sempre que posso faço trabalho e pesquise nele.
Mirvaty Pio
2º B Turno Tarde

Anônimo disse...

Estou neste momento fazendo uma pesquisa no Laboratório de infomática da escola e o blog do Monsenhor é ferramenta básica para a mesma
Marck Suely
2º B Turnbo Tarde

Anônimo disse...

Pesquisar no blog do monsenhor já se tornou uma obrigaçaõ para a aquisição de meus conhecimetos
Isabele Pio
2º B Turno Tarde

Anônimo disse...

Ao acordar a primeira coisa que faço é ler os maravilhosos artigos publicados no blog do Monsenhor que são a base para a aprimoração de meus conhecimentos extra classe
Josef
2º ano B Turno Notruno

Anônimo disse...

Ler o Blog do Monsenhor é complementar as nossas atividade pedagógicas com um material de primeira linha.
Neuza Alves da Silva
2º Ano B Turbo Tarde

Anônimo disse...

Ler o blog do Monsenhor é ter a certeza de encontrar material de qualidade comprovada.
Cassiano Everton Duarte
2º C Turno Noturno

Anônimo disse...

Adoro ler o blog do Monsehor, pois o material publicado sempre e de muita utilidade para mim.
Alexandara Bezerra de França
2º Ano B Turno Tarde

Anônimo disse...

Ler o blog do Monsenhor é a certeza de ter em maõs uma feramenta a mais para o aperfeiçoamento de nossos conhecimentos. Recomendo leitura a todos os meu colegas
Stefanny de Oliveira Batista
2º Ano B Turno Tarde

Anônimo disse...

Adoro ler o blog do Monsehor e, principalmente fazer pesquisas com as minhas colegas
Fernanda Tavares
2º Ano B turno Tarde

Anônimo disse...

Quem lê o blog do Monsenhor com certeza irá encontar material necessário para a construção de um bom futuro
Maria Jaqueline Alves dos Santos
2º Ano A Turno Manhã

Anônimo disse...

Sempre leio o Blog do Monsenhor e encontro material para as minhas pesquisas determinadas para tal fim
Vanúbia
2º Ano A Turno Manhã

Anônimo disse...

Quem lê o blog do Monsenhor é uma pessoa que aspira a um mundo promissor na formação dos conhecimentos úteis a vida
Gilmara
2º Ano A Tuno Manhã

Anônimo disse...

Toda vez que acesso o blog do Monsenhor sempre encontro material de qualidade ímpar
Selena
8º ano A Turno Manhã

Anônimo disse...

O Blog do Monsenhor é um livro virtual que dá luz e cor aos nossos conhecimentos
Cicera Saraiva de Souza
3º Ano B Turno Tarde

Anônimo disse...

O Meu cartão virtual do conhecimento é o Blog do Monsenhor, pois nele eu encontro além de material de primeirissima linha um diversificado celeiro de novidades essencias a vida e a vida em abudndância
Sabrina Santos
2º Ano B Turno Tarde

Anônimo disse...

Um artigo bem consistente e oportuno sobre a formação primeira de:Aurora antiga venda, que com certeza servirá para pesquisas sobre o municipio de Aurora.( formação)
Chagas Figueiredo
Professor

Anônimo disse...

Gsotei muito do artigo. Recomendo Letura aos meus colegas
Mateus Pinto
7º Ano A Turno Manhã

Anônimo disse...

Sempre que posso acesso o blog do Monsehor, que é na verdade é uma revista eletrônica que traz tudo sobre a formação do municipio de Aurora
Renata Costa
3º Ano B turno Notruno

Anônimo disse...

Já sou acostumada a ler diariamnete o blog dO Monsenhor é meu livro de cabeceira Virtual.
Auriele Santos
3º Ano B turno tarde

Anônimo disse...

Recomendo a todos o meus colegas a leitura diária do blog do Monsenhor, com certeza, você irão ter uma ferramenta de qualidade para as suas pesquisas. Experimente e comprove
Eliene Fereira
3º Ano B turnbo Tarde

Anônimo disse...

Feliz do estudante que procura no mundo on line ferarmenta tão maravilhosa como o blog do monsenhor que ativa, renova e educa como sabedoria
Claudia Maria
3º B Tarde

Anônimo disse...

O Blog de Aurora é o cartão de visita dos educandários, bem como fonte para o conhecimento da terra do menino Deus, e, enfim tudo que versa sobre o bom andamento de uma educação de qualidade para todos
Denisinha Campos
ACâdêmica da UFCG