terça-feira, 29 de outubro de 2013

A VOCAÇÃO RELIGIOSA DA FAMÍLIA FRANÇA




     Talvez poucos saibam, mas o dia 12 de novembro do longínquo ano de 1902 foi para o município cearense de Aurora, um dos mais significativos. Abraçaram-se em matrimônio, na pequena Igreja Paroquial do Menino Deus, o casal José Amaro de França, de 30 anos de idade, e Vicência Maria de Jesus, ou Vicência Bezerra de Maria, de 21, ambos solteiros e naturais da Vila d'Aurora. José Amaro de França, filho dos pioneiros da região do atual sítio Cachoeira e São Miguel, (Sítio Cajueiro), exerceu vida política em Aurora, tendo sido vereador por dois mandatos (1908-1916). Participou ainda, de forma ativa do diretório do partido oposicionista do Ceará em Aurora, juntamente a José Leite de Figueiredo, Antônio Leite Teixeira Netto e Manoel Valdevino Leite (veja-se Jornal do Ceará de 15 de abril de 1905, p.2). Dona Vicência era filha de Casemiro Bezerra de Maria e da barbalhense Maria Raimunda Duarte. Seu pai (Casemiro) foi o primeiro Tabelião de Aurora (1890-1898), exercendo grande contribuição neste tocante ao município. 
      Do casal José Amaro de França e Vicência Bezerra de Maria, originaram-se quatro filhos sacerdotes e uma filha religiosa. O primeiro, nascido aos 20 de fevereiro de 1904 no sítio Cajueiro, foi batizado pelo Padre Augusto Barbosa de Menezes em 13 de março, numa época em que a Paróquia de Aurora estava agregada a de Caririaçu (veja-se PARÓQUIA DO MENINO DEUS DE AURORA, LIVRO DE REGISTRO DE BATISMOS, 1897-1904, p.173). Iniciou os primeiros estudos no sítio onde nasceu, seguindo para o Seminário de Minas Gerais, onde se ordenou sacerdote aos 23 de dezembro de 1934, na Diocese de Caratinga. Foi Vigário durante 23 anos da Paróquia de Goitacás, no Rio de Janeiro, onde veio a falecer, aos 64 anos, aos 20 de janeiro de 1970 (CALIXTO JÚNIOR, 2012).
     O segundo filho a ser sacerdote, o mais conhecido em sua terra natal por ali residir e ter assumido a paróquia, foi o imortal Padre França. Francisco Bezerra França, também nascido no Cajueiro, aos 19 de novembro de 1912. Ordenou-se aos 8 de dezembro de 1944, na cidade de Vassouras, Rio de Janeiro, ficando pertencente à Congregação Salvatoriana. Foi Vigário da Paróquia de Uberaba, Minas Gerais, e Aparecido, no Rio de Janeiro. Participou da construção de um Seminário em Jundiaí, São Paulo, onde morou por cerca de cinco anos com os índios. Foi a Europa em busca de recursos para os indígenas carentes e trabalhou muito pelo seu desenvolvimento na cultura e na integração social. Foi em sua época um dos religiosos mais cultos e conhecedores dos costumes do homem sertanejo. Voltou ao Ceará na década de 1950, fixando residência em Fortaleza. Participou de melhorias no Seminário da Prainha, onde ficou até 1958 morando em Parangaba. Veio para a Diocese do Crato em 1969, passando a residir, portanto, em sua terra natal, de onde foi Vigário no período de fevereiro de 1971 a fevereiro de 1987. Veio a falecer aos 10 de junho de 1987, e seus restos jazem no Cemitério Público de Aurora.
     Em 1924, em 25 de novembro, nasceu Tarcísio, já no sítio Cruzeiro, propriedade que seu pai decidira mudar-se com a família. Francisco Tarcísio Bezerra França pertenceu à Congregação Salvatoriana, ordenando-se em Indianápolis, São Paulo, em janeiro de 1954. Mudou-se para o Ceará, onde morou com o irmão, Pe. Francisco França, em Parangaba. Faleceu aos 10 de junho de 1982, no município de Belford Roxo, Rio de Janeiro.
     Pe. Luiz Bezerra França, o quarto filho sacerdote do casal e único hoje resistente aos dias atuais, nasceu no Sítio Cruzeiro aos 10 de fevereiro de 1926. Ordenou-se em Indianápolis, São Paulo, aos 10 de fevereiro de 1955. Pertenceu à Congregação Salvatoriana. Trabalhou com o irmão, Pe. Francisco em Porangaba, Fortaleza, CE, por cerca de oito anos, de onde saiu para Vicariar a Paróquia de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, onde permanece até os dias atuais, na Catedral de Santo Antônio.



7 comentários:

Jana Muniz disse...

Oi . José Amaro e Vi cénica tiveram 15 filhos.

Anônimo disse...

Oi me chamo Andreza e sou umas das netas do Sr. José Amaro e Dona Vicência, e eles tiveram 8 filhos.

Anônimo disse...

Fico muito feliz em ver a história da minha família sendo contada, lembrada.. Parabéns!

Anônimo disse...

Ola ! Meu Nome é Anderson Bezerra França , Achei Muito Bonito Ha Historia Da Minha Familia Sendo Contada e Relembrada ! Amei !

Jana Muniz disse...

Andreza sou sua prima . sou filha do tardio . irmão do tio André . já procurei muito vc e a Andreia . envia seu email e Facebook quero muito manter contato com vcs

Jana Muniz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jana Muniz disse...

Me chamo janaina muniz bezerra sou filha de Francisco bezerra França . entrem em contato por favor